Crítica Filme "Tomb Raider – A Origem" - Rita Vaz



“Tomb Raider – A Origem” é uma regravação de um clássico do cinema de ação baseado em games.
Quando a primeira versão foi lançada em 2001, o sucesso foi enorme, tanto que em 2003 uma continuação dele foi feita e teve muito sucesso também.
Quando assistimos ao novo filme, fica praticamente impossível não comparar essa produção com as anteriores, e já posso falar que o resultado ficou aquém do esperado.
Enquanto filme de ação, com suas cenas muito bem coreografadas e a excelente performance de Alicia Vikander, o filme é bom, mas em se tratando de enredo e desenvolvimento de personagem, o longa deixou a desejar.
Na história, trazida para a realidade de hoje, conhecemos Lara Croft como uma pessoa que trabalha e luta pela sua vida, praticando esportes e fazendo entregas de bicicleta pelas ruas de Londres.
Na verdade, ela é herdeira de um império, mas se recusa a assumir sua posição, porque para tal, precisa admitir que seu pai morreu.
Há sete anos, Richard Croft desapareceu enquanto estava no encalço do túmulo de Himiko, uma imperatriz japonesa, que espalhava morte e destruição por onde passava até ser traída pelos seus próprios generais, que a enterraram viva.
A procura de Richard estava acontecendo porque ele acreditava que um grupo estava tentando encontrar o local para através de seu poder, dominar o mundo.
Lara, muito perspicaz e treinada durante toda a sua infância pelo pai, através de jogos e brincadeiras, facilmente encontra algumas pistas deixadas por ele e entra em uma busca, cheia de aventuras, para descobrir se ele realmente morreu.
A história em si é bacana, mas o modo como ela é retratada é muito simples, parece que estamos em um game onde etapas precisam ser vencidas e só.
Sim, o filme é baseado em um game, mas é preciso conduzir o espectador por uma vereda mais envolvente do que do modo que foi feito.
Alicia Vikander está super preparada para o papel, fisicamente falando e como o filme tem um lado bem mais realista que os anteriores, deixando manobras e jogos sensacionalistas de lado, ela consegue passar veracidade em suas ações.
Pra finalizar, apesar das inúmeras lutas, perseguições, corridas, charadas e momentos de vida ou morte, o novo “Tomb Raider” não vai agradar aos antigos fãs da série, mas talvez agrade um público novo que está sedento em ver sua heroína em ação.

Título Original: Tomb Raider
Gênero: Aventura/Ação
Duração: 1 hora e 58 minutos
Ano de Lançamento: 2018
Direção: Roar Uthaug
Elenco: Alicia Vikander, Dominic West, Walton Goggins, Daniel Wu, Kristin Scott Thomas, Hannah John-Kamen, Derek Jacobi, Josef Altin.

RITA VAZ

Nenhum comentário: