Shopping Crystal Recebe Festival Internacional de Cinema

O Shopping Crystal conta com boas opções de lazer e cultura. Entre os dias 24 e 29 de setembro, o Espaço Itaú de Cinema recebe a mostra principal do FICBIC – Festival Internacional de Cinema da Bienal de Curitiba.

O evento apresenta longas-metragens internacionais de países como Holanda, Portugal, México, Canadá, Guatemala, Espanha, Chile, Alemanha, Bulgária e Croácia, além de curtas nacionais. Os filmes foram selecionados de acordo com a sua qualidade e o debate que provocam. Nesta primeira edição, o FICBIC teve curadoria do cineasta e professor Eduardo Baggio. Luiz Zanin, Rafael Urban e Rodrigo Fonseca foram os consultores para os curtas nacionais.

Muitas das obras presentes no Festival, como Kauboy, Lacrau, Los Mejores Temas, Polvo e Sofia's Last Ambulance, serão exibidas pela primeira vez no Brasil. O canadense Rebelle (2012, 90 min) é um dos destaques. Indicado ao Oscar 2013 de melhor filme estrangeiro, a produção é escrita e dirigida por Kim Nguyen. Por sua atuação, Rachel Mwanza faturou o Urso de Prata de Melhor Atriz no Festival de Berlim e no Tribeca Film Festival, nos Estados Unidos. Foi também no Tribeca que a obra foi eleita na categoria Melhor Filme.

Entre os nacionais, Pátio (2013, 17min), de Aly Muritiba, chama a atenção. Exibido na Semana da Crítica do Festival de Cannes deste ano, a produção é a segunda parte da Trilogia do Cárcere, um documentário de observação sobre o dia a dia de um detento no pátio de sol da cadeia na qual está preso. Cineasta baiano residente em Curitiba, Aly viu seu nome alcançar grande repercussão ao ter seu filme anterior, A Fábrica, entre os 11 pré-selecionados para o Oscar de melhor curta-metragem. As exibições acontecem a partir das 19h30 e a entrada é gratuita.

Programação FICBIC – Espaço Itaú de Cinema

24 de setembro
19h30 - Abertura do FICBIC – Festival Internacional de Cinema da Bienal de Curitiba

20h - Mostra principal
Éden (Bruno Safadi, Brasil, 2012, 73 minutos)
Rio de Janeiro, 2012. Karine, 30 anos, grávida de 8 meses, perde seu marido assassinado. Ela e o irmão quase morrem, mas são salvos pelo Pastor Naldo da Igreja Evangélica do Éden. Karine carregará consigo o conflito de buscar a salvação na religião evangélica ou no nascimento do filho.

21h30 - Mostra principal
Canção para minha Irmã (Pedro Severien, Brasil, 2012, 16’)
Um rio sobre a ponte. Memórias na casa sem teto. Irmã triste. Uma canção.

Los Mejores Temas (Nicolás Pereda, México/Canadá/Holanda, 103 min, 2012)
Derivação da ficção para documentário, Los Mejores Temas conta a história de Emilio, um homem na casa dos cinquenta anos que retorna para a família após 15 anos de ausência. Sua esposa e seu filho, de 28 anos, o recebem com amargura e perturbação. Depois de alguns dias, eles decidem expulsá-lo para então descobrir que Emilio os deixou por vontade própria. O filho acaba indo atrás do pai e passa alguns dias com ele em seu apartamento.

25 de setembro
19h30 - Mostra principal
Pátio (Aly Muritiba, Brasil, 2013, 17 min)
Pátio é a segunda parte da Trilogia do Cárcere, iniciada com o curta A Fábrica. Trata-se se um documentário observativo sobre o dia a dia de um detento no pátio de sol da cadeia na qual está preso.

Sofia’s Last Ambulance (Ilian Metev, Bulgária/Alemanha/Croácia, 75 min, 2012)
Em uma cidade onde 13 ambulâncias lutam para atender 2 milhões de pessoas, Krassi, Mila e Plamen são nossos heróis improváveis​​: acendendo um cigarro atrás do outro, cheios de humor e salvando vidas incansavelmente contra todas as probabilidades. Porém, a tensão de um sistema falho está cobrando o seu preço. Por quanto tempo conseguirão ajudar os feridos da sociedade até que percam a empatia?

Bate-papo com o diretor de Pátio, Aly Muritiba.

21h30 - Mostra principal
De Jueves a Domingo (Dominga Sotomayor, Chile/Holanda, 94 min, 2012)
Tudo começa em uma quinta-feira, quando duas crianças vão para o norte do Chile, em uma viagem com os seus pais. Tudo termina em um domingo. Lucía (10) e Manuel (7) viajam no feriado prolongado com sua mãe, Ana, e seu pai, Fernando. O casal já havia decidido se separar, mas, como tinham prometido aos seus filhos que iriam para o norte, decidiram viajar de qualquer maneira. A jornada lentamente se transforma em um adeus final. É um longo itinerário. A solidão da paisagem e o confinamento no carro trazem à tona os problemas do casal. As crianças só querem chegar à praia; Fernando, a um pedaço de terra que seu pai lhe deixou; e Ana, a um lugar inexistente onde as coisas estariam bem novamente. De Jueves a Domingo é a perspectiva distante e fragmentada de Lucía nesta última viagem em família.

26 de setembro
19h30 - Mostra principal
Rebelle (Kim Nguyen, Canadá, 90 min, 2012)
Em algum lugar da África subsaariana, em uma pequena aldeia isolada, a menina Komona, de 12 anos, vivia pacificamente com seus pais até o dia em que os rebeldes vieram. Eles saquearam a vila, capturaram Komona e obrigaram-na a cometer um ato irreparável: matar seus pais. Apenas uma pessoa está disposta a ajudá-la e ouvi-la, um garoto de 15 anos chamado Magician. Eles se apaixonam e experimentam por um breve momento a felicidade. O tempo passa, Komona tem agora 14 anos e está grávida. Ela quer esquecer o passado, mas os fantasmas de seus pais continuam aparecendo. A garota se dá conta que para evitar que os fantasmas de seus pais assombrem seu bebê, deverá fazer a longa viagem que irá levá-la de volta para sua terra natal.

21h30 - Mostra principal
Tremor  (Ricardo Alves Junior, Brasil, 2013, 15 min)
Um dia na vida de um homem. Ele procura por sua mulher, ele busca respostas, ele busca por vida.

Kauwboy  (Boudewijn Koole, Holanda, 81 min, 2012)
Um dia, Jojo, de 10 anos, leva um filhote de gralha para casa. Ele tem de mantê-la escondida de seu pai que não gosta de ter pássaros em casa. De vez em quando, Jojo chama secretamente sua mãe, mas não lhe conta sobre seu amigo gralha. Ele quer surpreendê-la com a ave em seu aniversário, que está próximo. O pai de Jojo deixa claro que não quer comemorar o aniversário de alguém que não está presente, e devido às mudanças de humor violentas que ele sofre, Jojo tem de ser muito cuidadoso. Por conta de sua amizade especial com o pássaro e a adaptabilidade que só as crianças possuem, Jojo encontra uma maneira de derrubar o muro que circunda o coração de seu pai.

27 de setembro
19h30 - Mostra principal
A onda traz e o vento leva (Gabriel Mascaro, Brasil, 2010, 28’)
Rodrigo é surdo e trabalha numa equipadora instalando som em carros. O filme é uma jornada sensorial sobre um cotidiano marcado por ruídos, vibrações, incomunicabilidade, ambiguidade e dúvidas.

Polvo (Julio Hernández Cordón, Guatemala/Espanha/Chile/Alemanha, 90 min, 2012)
Ignacio, 30 anos, cineasta e pai de uma adolescente, está filmando um documentário com sua namorada grávida, Alejandra, sobre as pessoas desaparecidas em 1982 durante o conflito armado em uma aldeia indígena. Entre as famílias que estão à procura de seus maridos e pais estão Delfina e seu filho Juan. Delfina ainda espera encontrar seu marido, mas Juan já está farto de buscar. Ele sabe quem foi o responsável pelo desaparecimento de seu pai: alguém que ainda vive na mesma aldeia.

21h30 - Mostra principal
Olho Nu (Joel Pizzini, Brasil, 101 min, 2012)
Filme-ensaio que retrata a vida e a obra de Ney Matogrosso a partir de um conjunto de imagens e sons reunidos pelo artista, em contraponto com sequências atuais. Em um espetáculo sobre o percurso musical de Ney Matogrosso, o filme evoca sua história nos palcos e na vida cotidiana. Sem nostalgia ou reverência, Olho Nu revela o homem por trás do personagem, sondando as motivações de sua arte, o senso crítico, o caráter libertário e político que permeia seu repertório, pautado sempre pela coerência e qualidade estética.

Bate-papo com o diretor de Olho Nu, Joel Pizzini.

28 de setembro
19h30 - Mostra principal
Lacrau  (João Vladimiro, Portugal, 99 min, 2012)
Se o Lacrau visse e a víbora ouvisse não havia quem escapulisse. A víbora é surda e o lacrau não vê, assim é e assim será, tal como o campo é calmo e a cidade agitada e o ser humano impossível de satisfazer. Lacrau procura o regresso “à curva onde o homem se perdeu” em uma viagem que parte da cidade em direção à natureza. A fuga do caos e do vazio emocional a que chamamos progresso; matéria sem espírito, sem vontade. A procura das sensações e relações mais antigas dos seres humanos. O espanto, o medo do desconhecido, a perda dos confortos básicos, a solidão, o encontro com o outro, o outro animal, o outro vegetal. Um mergulho à procura de uma conexão com o mundo. Onde partida e chegada são a mesma, mas eu não.

Bate-papo com o diretor de Lacrau, João Vladimiro.

21h30 - Mostra principal
Urânio Picuí (Tiago Melo e Antonio Carrilho, Brasil, 2011, 15 min)
Sertão do Seridó, Paraíba. Durante a II Guerra, americanos extraíram “minérios nobres” na região. A partir de fortes indícios da exploração de urânio, os garimpeiros e moradores começaram a questionar se a bomba de Hiroshima não teria sido produzida com o urânio da região.

Eles Voltam (Marcelo Lordello, Brasil, 100 min, 2012)
Cris, 12 anos, e seu irmão mais velho são deixados na beira da estrada por seus pais. Em pouco tempo percebem que o castigo vem a se tornar um desafio ainda maior. Eles Voltam acompanha Cris em sua jornada de retorno ao lar. Um caminho feito de encontros, em que realidades distintas serão seus guias. Uma fábula de tons realistas sobre as vivências que farão Cris se revisitar.

Nenhum comentário: