Crítica Filme "A Fuga".


“A Fuga” é um filme feito para quem tem estômago forte.

Ele é essencialmente violento. Muitas mortes, assassinatos e intolerâncias fazem parte desse roteiro, dirigido Stefan Ruzowitzky.

Mas, não desanime por trás disso tudo existe uma história.

Tudo acontece em algum lugar do Canadá, aonde a neve chega a ser personagem do filme de tão mediadora de histórias que ela é.

Addison e Liza são dois irmãos que depois de um grande roubo em um cassino estão fugindo para a fronteira mais próxima.

Durante a fuga eles perdem o controle do carro e sofrem um acidente. Eles precisam continuar fugindo e apesar da nevasca que cai, eles continuam a fuga a pé, porém um vai para cada lado.

Ao mesmo tempo conhecemos Jay, um ex-boxeador que está saindo da prisão sob condicional e tem muitos assuntos ainda por resolver.

Depois de um primeiro encontro mal sucedido ele também passa a fugir, e sem saber vai ao encontro de Liza, que o persuadirá a levá-la até a fronteira, que por acaso é caminho para a casa dos pais de Jay, que têm diferenças para acertar com o filho.

O filme teria um grande potencial se tivesse sido mais elaborado, algumas histórias ficam sem explicação, e por isso mesmo um sentimento de frustração surge no seu final.

Apesar disso, quem gosta de filmes com bastante movimento e personagens fatalistas vai gostar da história.

Nenhum comentário:

A VIDA INVISÍVEL no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

  Produzido por Rodrigo Teixeira, da RT Features, A VIDA INVISÍVEL teve sua estreia mundial no Festival de Cannes de 2019, no qual conquist...