“O Bogart Curitibano” de Ernani Buchmann


Durante a leitura encontramos humor, mistério, nostalgia, esperança, histórias picantes, saudosismo, família, solidão, emoção, mistura de delírios com imaginação e ficção. Tudo muito refinado e calcado na cultura do autor.
São passagens pela Curitiba de Buchmann e de todos os curitibanos, ou não, que gostam de tomar café no centro da cidade, passear pelos bairros, parques, bares e todos os lugares usados como cenário para os personagens dos textos. Personagens comuns, personagens das histórias de Curitiba.
O livro foi lançado numa festiva manhã de domingo na “Sala do Artista” do Solar do Rosário. Esta sala foi inaugurada pelo saudoso artista Poty Lazzarotto. Não poderia ser mais apropriado já que encontramos Poty no conto “Vivos e Mortos nas Manhãs de Domingo”.

Nenhum comentário: