Wall-E é um Filme Lindo!


Chegou às telas dos cinemas mais um filme que chama a atenção das pessoas para a ação predatória do homem em relação à Terra. Só que nesse filme a Terra já está inabitável. E o mais interessante ainda, é que não é um filme. É mais uma excelente animação da Pixar.
“Wall-E” começa com uma tomada de uma grande cidade com grandes arranha-céus, mas, quando a cena vai fechando aquilo se revela grandes amontoados de lixo, deixados para trás pelo homem. Em seguida, vemos a figura de um robô, pequeno e solitário, na sua tarefa diária de limpar esse lixo.
Nos primeiros vinte minutos do filme a gente conhece e se simpatiza imediatamente com o pequeno robô, que após 700 anos, é o único que ainda funciona e segue sua rotina, limpando e guardando objetos que encontra no meio do lixo e os considera lúdicos. Ele tem uma amiga, uma barata de estimação e assiste toda noite uma fita de vídeo com o filme “Hello Dolly”, e é aí que está o seu contato com outros seres vivos. E é aí que ele tem um pequeno defeito: ele desenvolve uma personalidade.
Tudo muda repentinamente quando uma nave traz um novo e moderno robô: Eva.
A princípio curioso, Wall-E, logo se apaixona por ela.
O plano dos humanos era que o retiro durasse poucos anos, mas, a poluição foi tanta que após os 700 anos, ainda não há vida no planeta. E eles vivem numa gigantesca nave espacial, onde vivem cercados pelo meio eletrônico e sem convívio afetivo.
Wall-E é o elemento mais humano que poderia ter sido deixado para trás pelo homem, e ironicamente, será ele a peça chave para que a humanidade volte para a Terra.
Com certeza, nasceu mais um clássico da Disney-Pixar!

Nenhum comentário: